Instituto Pasteur

A A A Tamanho do texto

Atendimento Médico

Pessoas que sofrem agressão por animais, devem procurar o atendimento em unidades municipais de pronto atendimento ou unidades básicas de saúde, verifique os locais de atendimento junto à Vigilância em Saúde do seu município.

 

No Município de São Paulo, a lista completa dos serviços de atendimento de pré e pós-exposição ao vírus da raiva pode ser acessada através do link: Referência do soro e vacinação Antirrábica no Município de São Paulo

 

O Instituto de Infectologia Emílio Ribas, da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, também realiza o atendimento na forma de consultas médicas e de enfermagem; aplicação de soro e vacinas antirrábicas, quando necessário; coleta de amostra para exame sorológico de raiva e orientações pertinentes, tanto para pacientes quanto para profissionais de saúde. Mais informações ligue (11) 3896-1298

Instituto de Infectologia Emílio Ribas
Av. Doutor Arnaldo, 165
São Paulo - SP

 

Normas Técnicas de Profilaxia da Raiva Humana (pdf)

 

 

O que fazer quando agredido por um animal, mesmo se ele estiver vacinado contra a raiva

 

- Lavar imediatamente o ferimento com água e sabão.

- Procurar com urgência o Serviço de Saúde mais próximo.

- Não matar o animal, e sim deixá-lo em observação durante 10 dias, para que se possa identificar qualquer sinal indicativo da raiva.

- O animal deverá receber água e alimentação normalmente, num local seguro, para que não possa fugir ou atacar outras pessoas ou animais.

- Se o animal adoecer, morrer, desaparecer ou mudar de comportamento, voltar imediatamente ao Serviço de Saúde.

- Nunca interromper o tratamento preventivo sem ordens médicas.

- Quando um animal apresentar comportamento diferente, mesmo que ele não tenha agredido ninguém, não o mate e procure o Serviço de Saúde.

Comunicar Erro




Enviar por E-mail






Colabore


Obrigado