brasão governo do estado de são paulo

Em atendimento à legislação eleitoral (Lei nº 9.504/1997), os demais conteúdos desse site ficarão indisponíveis de 5 de julho de 2018 até o final da eleição estadual em São Paulo.

A A A Tamanho do texto

SP investe R$ 7,5 milhões em pronto-socorro de Itaquera

Unidade será referência em saúde na zona Leste para a abertura e jogos da Copa do Mundo de 2014

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo lança nesta segunda-feira, 20 de maio, a pedra fundamental das obras do pronto-socorro do Hospital Santa Marcelina de Itaquera. Orçado em R$ 7,5 milhões, o novo prédio receberá do Estado R$ 5 milhões será destinado à construção de um novo espaço para atender a população com mais agilidade, acolhimento e humanização e R$ 2,5 milhões de emendas parlamentares para complementar os recursos para as obras.

A unidade será referência em saúde na zona Leste para a abertura e jogos da Copa do Mundo de 2014. O espaço terá 2,5 mil metros quadrados de área construída com três pavimentos.

As obras têm inicio neste mês e serão entregues em abril de 2014. "O novo pronto-socorro ficará em um local estratégico, distante apenas 10 minutos da Arena de Itaquera, estádio que será palco da abertura da Copa do Mundo, e terá capacidade de atendimento de 12 a 15 mil pacientes por mês", afirma o secretário de Estado da Saúde, Giovanni Guido Cerri.

Os investimentos possibilitarão a implantação de serviços de urgência e emergência, atendimento clínico, consultórios de ginecologia e obstetrícia, de ortopedia, de psiquiatria, salas de observação masculina e feminina, quartos de isolamento, salas de raios-X, de curativos, de medicações, de farmácia e espaço para atividades de âmbito cultural. A nova estrutura contemplará o atendimento adulto e infantil.

A cerimônia começará às 10h e contará com a presença do governador Geraldo Alckmin e do secretário da Saúde, Giovanni Guido Cerri. O hospital filantrópico também é referência para o serviço aeromédico Águia da Polícia Militar e Corpo de Bombeiros e atende uma região com cerca de seis milhões de habitantes, sendo o único na região que realiza atendimento de alta e média complexidade. Anualmente, a unidade recebe repasse do Estado para custeio de cerca de R$ 124 milhões e R$ 15,6 milhões pelo programa Pró-Santa Casa.

 

Publicado por Assessoria de Imprensa em