A A A Tamanho do texto

SP ganha 1ª central online de vagas de UTI pelo SUS do Brasil

Unidade totalmente informatizada, na capital paulista, irá agilizar a disponibilização de leitos de emergência e cirurgias para pacientes graves

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo entregou nesta quinta-feira, 7 de julho, a primeira central online de vagas de urgência e emergência pelo SUS (Sistema Único de Saúde) do Brasil. O objetivo é monitorar a disponibilidade e agilizar a transferência de pacientes com quadros graves e que precisam ser internados em leitos de UTI (Unidade de Terapia Intensiva) ou realizar procedimentos complexos, como cirurgias cardíacas e neurológicas. O governador Geraldo Alckmin e o secretário de Estado da Saúde, Giovanni Guido Cerri, visitaram a central pela manhã.

Instalada em um andar inteiro do edifício Andraus, no centro da cidade de São Paulo, a Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (Cross), ligada à pasta, irá gerenciar todo o fluxo de urgência e emergência na Grande São Paulo, interior e litoral do Estado.

Em tempo real, a Cross será ponto de contato de todos os hospitais e serviços de saúde que atendem pelo SUS no Estado. Na capital paulista e em algumas cidades paulistas há centrais que regulam a transferência de pacientes entre hospitais do município, mas havendo necessidade de oferta de vagas inter-regional, a central da Secretaria é acionada.

A nova central da Secretaria é totalmente informatizada e conta com uma equipe de cerca 200 profissionais, dos quais 100 médicos e 50 técnicos auxiliares de regulação médica, além de técnicos em informática e atendentes.
Os médicos e técnicos de regulação se revezarão em turnos, 24 horas por dia, sete dias por semana, atendendo às solicitações de transferência de pacientes em serviços de saúde de todo o estado, incluindo pedidos de UTI adulto, neonatal e pediátrica, além de leitos para cirurgias de urgência.

As solicitações poderão ser feitas por telefone ou via portal na Internet, e classificadas segundo grau de risco, numa escala de um a quatro. As classificadas como grau 1 terão atendimento em até uma hora. As avaliadas como grau 2, em até três horas. As de grau 3, em até seis horas, e as de grau 4 (com baixo risco) são atendidas em até 12 horas. Caberá ao serviço de saúde de origem transportar o paciente até o novo local onde a vaga foi encontrada.

Os médicos da central são treinados e capacitados para lidar com as mais diferentes situações. Em muitos casos, inclusive, os profissionais conseguem, conversando com a equipe médica dos serviços de saúde solicitantes, passar instruções para manter os sinais vitais do paciente e até adotar medidas para melhorar sua condição clínica.

Com a centralização é possível à Secretaria manter uma equipe médica à disposição dos serviços de urgência e emergência e buscar vagas não somente em uma determinada região, mas sim no Estado todo. Dessa forma, caso haja indisponibilidade momentânea de leitos em determinada localidade, o paciente poderá ser transferido para um hospital de outra região, recebendo assistência adequada.

O processo de centralização da regulação de vagas de urgência e emergência vem sendo realizado gradativamente ao longo do último ano, e já mostra resultados. Levantamento da Secretaria aponta que nesse período houve redução de 40% na mortalidade de pacientes que necessitavam de leitos de UTI. De uma média de 2,5 óbitos mensais, o número caiu para 1,5. O objetivo é reduzir ainda mais este índice.

Antes a regulação era feita em escritórios regionais, mas havia dificuldade na contratação de médicos e precariedade na estrutura. Muitos pedidos eram feitos via fax, que precisavam ser retransmitidos em razão da dificuldade de leitura.

“Trata-se de um importante instrumento para garantir a rápida disponibilização de leitos de UTI e outras vagas de emergência no Estado, expandindo possibilidades e integrando os serviços de saúde com o objetivo de salvar vidas”, afirma Giovanni Guido Cerri, secretário de Estado da Saúde.

Marcação de consultas

Além de plantonistas 24 horas para a regulação das urgências e emergências, a Cross também contará com uma central de atendimento específica para as marcações de consultas ambulatoriais, gerenciando todo o fluxo de atendimento nas unidades de saúde municipais, ambulatórios e demais hospitais vinculados ao SUS.

As regionais de saúde – braços da Secretaria na capital, interior e litoral - distribuem, conforme a demanda, a oferta de vagas de serviços médicos, consultas e exames. A integração do sistema garante que todas as unidades tenham conhecimento sobre onde há vagas disponíveis e a possibilidade de marcação.

O sistema também é regionalizado: as unidades de um determinado município só tem acesso às informações de ofertas de consultas e exames em suas macrorregiões.

Caberá à central dar suporte técnico às unidades cadastradas, além de gerenciar o atendimento aos cancelamentos de consultas agendadas, além de, se necessário, reordenar as ofertas distribuídas nas unidades de saúde.

Para melhor organização, a Secretaria de Estado da Saúde envia, cinco dias antes da data da consulta/exame, um “torpedo” para lembrar o paciente da data e horário agendada, bem como um número gratuito para cancelamentos e/ou dúvidas referentes a marcação. A mensagem é encaminhada sempre que o número do telefone celular do paciente consta em sua ficha.
Publicado por Assessoria de Imprensa em

Comunicar Erro






Enviar por E-mail






Colabore


Obrigado