A A A Tamanho do texto

Hospital das Clínicas inaugura novas instalações do Centro de Reprodução Humana

Também será aberto o novo Centro de Diagnóstico em Gastroenterologia, que permitirá que o serviço triplique os atendimentos chegando a 15 mil procedimentos por ano

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, unidade ligada à Secretaria de Estado da Saúde, inaugura nesta terça-feira, 26 de julho, dois novos centros em suas dependências: Centro de Reprodução Humana e Centro de Diagnóstico em Gastroenterologia.

A Divisão de Clínica Ginecológica do HC abre as modernas instalações do Centro de Reprodução Humana “Governador Mario Covas”. O local foi totalmente reformado e conta com laboratórios de micromanipulação de gametas, sêmen e criopreservação, e Laboratório de Pesquisa Genômica para investigar anomalias e dar aconselhamento genético aos casais.

Com as mudanças, o Centro de Reprodução Humana aumenta em 50% a sua capacidade de atendimento. Serão realizados 30 ciclos de fertilização “in vitro” por mês. A meta do Professor Edmund Baracat, Titular da Disciplina de Ginecologia do HC, é elevar este número para 80 ciclos até dezembro de 2011 e a 100 ciclos a partir de 2012. Para esses benefícios o Governo do Estado de São Paulo, via Secretaria de Estado da Saúde, investiu R$ 1,4 milhão.

Outra novidade é que o centro poderá ampliar a faixa etária e atender também mulheres com idade superior a 38 anos. O protocolo especial encontra-se em desenvolvimento para que essas pacientes possam ter perspectiva reprodutiva, adiantou o prof. Edmund Baracat.

O Centro de Reprodução Humana do HC oferece tratamento de baixa e de alta complexidade, como inseminação intra-uterina, fertilização in vitro, injeção intracitoplasmática de espermatozóides, além de procedimentos clínico-cirúrgicos para restabelecer a capacidade reprodutiva, como reversão de vasectomia e correção microcirúrgica de varicocele e reversão de laqueadura tubária. Todo o tratamento é gratuito.

Gastroenterologia

Já a inauguração do Centro de Diagnóstico em Gastroenterologia permitirá que o serviço triplique os atendimentos chegando a 15 mil procedimentos por ano. Os investimentos de R$5 milhões permitiram a ampliação do escopo de atuação, com a integração dos procedimentos de Endoscopia Digestiva Alta, Colonoscopia, Colangiografia Endoscópica, Ecoendoscopia, Retossigmoidoscopia, Enteroscopia, Ultrassonografia, Manometria Esofágica, Manometria Anorretal, pHmetria com um e dois sensores e Biofeedback, em uma área de 550 metros quadrados. Ao todo, são 35 tipos de exames oferecidos aos pacientes do Sistema Único de Saúde.

As novidades ficaram por conta da implantação de uma unidade especializada em detecção de câncer precoce de fígado, que realiza biópsias de nódulos hepáticos e alcoolização de carcinoma hepatocelular, e da área de atendimento de colonoscopia.

A Elastografia Hepática, inédita na rede pública de saúde do país, permite avaliar, em apenas 5 minutos, o grau de rigidez do fígado (fibrose hepática) e o estágio da doença. Não invasivo, o método tem substituído a biópsia do fígado nos casos de hepatite C em países da Europa, em especial na França.

A cromoendoscopia virtual, outra inovação, conta com imagens em alta definição e tecnologia óptica que, por meio de bandas estreitas de luz, permite ao médico um diagnóstico mais rápido e preciso das lesões malignas de boca, garganta e esôfago. O exame é indolor, de simples aplicação e sem efeitos colaterais se comparado aos métodos atuais.

Tomografia

Um tomógrafo de dupla energia, primeiro a ser utilizado na América Latina, também faz parte do pacote de novos serviços do HC. Com um investimento de aproximadamente R$ 4,3 milhões o Instituto de Radiologia, além de adquirir o aparelho, teve a sua área de tomografia reformada. O objetivo foi melhorar a precisão diagnóstica e o atendimento aos cerca de 3.500 pacientes/mês que realizam exame na unidade.

Outro diferencial é a rapidez na aquisição das imagens com esse tomógrafo, que permite redução da exposição do paciente à radiação (até 50% menor para exames de corpo inteiro e até 83% menor em procedimentos cardíacos) em comparação aos equipamentos já conhecidos - sem perda da qualidade das imagens, um benefício principalmente para crianças e adultos jovens, que passarão por vários exames ao longo da vida e podem sofrer efeito cumulativo da radiação.
Publicado por Assessoria de Imprensa em

Comunicar Erro






Enviar por E-mail






Colabore


Obrigado