A A A Tamanho do texto

Saúde no combate à infestação de 'mosquito da banana'

A Secretaria de Estado da Saúde, por meio da Sucen (Superintendência de Controle de Endemias), vai realizar um estudo inédito para mapear a infestação do mosquito culicóide na região do Vale do Ribeira, em São Paulo. O objetivo é descobrir a origem da infestação e evitar que se espalhe para outras regiões do Estado.

Os culicóides, que são chamados popularmente de "maruim" ou "porvinha", são insetos pequenos que têm sua proliferação ligada à cultura da banana, comum naquela região. Sua picada causa irritação na pele e incômodo. O culicóide também é vetor do vírus oropouche, causador de febre com o mesmo nome, mas que não foi registrada em São Paulo.

Desde a semana passada, uma equipe da Sucen realiza trabalhos nas cidades de Pedro de Toledo e Miracatu, origem das primeiras notificações de ataques, em 2007.

Equipados de aparelhos GPS, os técnicos vão definir as coordenadas dos pontos com maior infestação para, por satélite, descobrir as características destes lugares e definir estratégias de combate.

"Podemos descobrir o quão perto dos bananais estão estas pessoas afetadas e o sentido do vento daquela região, para descobrir se ele influencia na chegada destes animais em perímetro urbano", afirmou o engenheiro de operações de campo da Sucen, Marcos da Silva.

Em análise preliminar, os pesquisadores consideram que a infestação possa ter ocorrido por algum desequilíbrio ambiental ou ainda a aparição de uma espécie nova do mosquito, variação da que já existia.

A orientação para os moradores de regiões afetadas é para que evitem deixar próximos às casas detritos orgânicos em decomposição, ideais para a proliferação do culicóide. A utilização de telas nas janelas e repelentes também é recomendada.

Publicado por Assessoria de Imprensa em

Comunicar Erro






Enviar por E-mail






Colabore


Obrigado