Coordenadoria de Controle de Doenças

A A A Tamanho do texto

O Centro de Vigilância Epidemiológica alerta para o risco da reintrodução do sarampo em território paulista

São Paulo é o estado com maior trânsito nacional e internacional de pessoas e produtos, rotineiramente. O sistema de vigilância em saúde está alerta para a entrada de agravos que, mesmo sob controle em território paulista, constituem problemas de saúde pública em diversos países ou mesmo em outros estados da federação.

O sarampo é um desses agravos para o qual o Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) da Secretaria de Estado da Saúde emitiu alerta sobre o risco potencial da introdução do vírus por meio de viajantes.

O CVE recomenda aos profissionais da saúde atenção reforçada a todos os casos de febre e exantema (manchas na pele) para verificar se são suspeitos de sarampo (e ou rubéola). Alerta também para a necessidade de manter vigilância atenta para a detecção precoce, notificação oportuna e resposta rápida a todo caso suspeito de sarampo. O objetivo é assegurar a interrupção da circulação do vírus, caso ela ocorra.

Para a população a orientação é: ao apresentar febre e exantema, evitar contato com outras pessoas até ser avaliado por profissional de saúde.

Formas de transmissão e sintomas

O sarampo é transmitido de pessoa a pessoa, por meio das secreções expelidas pelo doente ao tossir, respirar, falar ou espirrar.  O período de incubação é de 7 a 18 dias. A transmissão ocorre cerca de 5 dias antes a 5 dias após o aparecimento de manchas na pele. É uma doença altamente contagiosa que pode apresentar complicações sérias como pneumonia, diarreia e encefalite, podendo levar a óbito.

 

 

Veja os documentos técnicos e vídeos sobre o tema aqui

 

Informações complementares em www.cve.saude.sp.gov.br

Comunicar Erro




Enviar por E-mail






Colabore


Obrigado